top of page
  • Foto do escritorFernando Garcia

Crônica: Viagem segura é com seguro

Atualizado: 19 de mar. de 2023


Seguro viagem

Era a viagem tão sonhada! Planejada nos detalhes. Também pudera! Quase 10 anos de noivado, mais 5 de namoro, e a pressão sobre o filho do Seu Alaor, tornou-se insuportável.


Anaxinandro (nome estranho, diga-se de passagem, melhor usar seu apelido sugestivo de Enrolandrio) finalmente iria se casar.

Tudo perfeito… ensaiado nos detalhes… igreja, buffet, filmagem, mas um detalhe preocupava o Enrolandrio: a Lua de Mel.


Depois de tanto tempo, soava meio estranho, mas a Laura fazia questão de viajar para a Europa, durante um mês. Queria andar de barco em Veneza, conhecer a Torre de Pisa (depois de 15 anos e aquilo não tinha caído?), fazer uma extravagância uma vez na vida, ela merecia, já que aguentar a enrolação do Enrolandrio não foi fácil.


Enrolandrio tinha um amigo que trabalhava numa Corretora de Seguros, que o orientou a contratar o seguro viagem, até porque era obrigatório para viajar pela maioria dos países da Europa, devido ao Tratado de Schengen.


O amigo corretor disse para ele que o seguro viagem era essencial, já que é repleto de coberturas como extravio de bagagem, despesas médicas, odontológicas, farmacêuticas, jurídicas, pagamento de fiança, translado, cancelamento da viagem, e muito mais.


Enrolandrio, que em matéria de seguros sempre foi avesso, contratou um seguro indicado pelo amigo, meio contrariado, afinal, como enrolador mor com pós e indo para seu 2.º PhD na arte da enrolação, não via vantagem em fazer seguro de nada.


No dia seguinte à festa do casamento, era a hora de viajar. Sair do Rio e chegar em Lisboa, como primeiro destino. Nosso herói levava uma mala, Laura duas, uma só de sapatos (sim, 30 dias, tem que levar sapatos, dizia ela).


No aeroporto de Lisboa, foram para a esteira pegar as malas. Laura, precavida, havia colocado fitinhas, uma azul e duas, cor de rosa, para facilitar a identificação. Chegava a azul, a segunda rosa, e a terceira não vinha. O tempo passando, a tensão era nítida, comum a todos que aguardam suas malas. Nada! A última veio e não era a da Laura, e justa a dos sapatos, e agora! O que fazer? Decidiram ir ao balcão da Cia no aeroporto.


Você já passou por uma situação assim? Pensa bem? Cansado, horas de voo e louco para chegar no hotel, e ainda na sua lua de mel?


A enrolação para resolver o assunto deixou até o Enrolandrio incomodado. Laura, ameaçava com umas lágrimas.


— Amor não fica assim, afinal são só uns sapatos!?


Imagina falar isso para uma mulher! ?


— Não são somente sapatos! Dizia ela, com a tensão não disfarçada.


— Toda surpresa que ia te fazer hoje à noite estava naquela mala, escondida no fundo falso - A cara do nosso personagem, empalideceu-se, depois de 15 anos ainda tinha surpresas!? - pensou em silêncio.


Foi aí que se lembrou do amigo do seguro e passou um áudio no zap.


— bicho., que faço? Sumiu a mala da minha mulher?


O retorno veio rápido


— Como assim a Laura sumiu?


— Não, meu caro, é a mala dela. .e ela tinha uma surpresa para mim, e tô curioso, cadê aquele tal seguro, quero ver se resolve essaaaaaaaaaa


Ele mal termina a fala, quando percebe a Laura, já pronta para cair desmaiada. Toda aquela tensão tinha sido demais para ela. Socorrida… é colocada em um sofá com o rosto pálido. A atendente da Cia, desesperada, traz um copo d’água


O celular toca. É o amigo corretor


— Cara, que aconteceu?!


— Leva ela para um hospital daí, disse o amigo.


Quinze minutos depois, o casal estava no Hospital e Laura foi atendida, passou por alguns exames, sendo medicada. Ela ficaria em observação aquela noite, e sairia de alta no outro dia, com orientação para tomar a medicação em casa.


No dia seguinte, o corretor liga para o nosso enrolador


— Como tá a Laura?


— Tá bem, vai sair de alta daqui a pouco.


— Olha! A seguradora, com a Cia, já localizaram a mala. Ela estava com alguns danos, mas não se preocupe, que seguro irá ressarcir este prejuízo. O importante é que os sapatos estavam todos lá, e, ninguém mexeu no tal fundo falso,


— Outra coisa, me encaminhe todas as notas de despesas do hospital e dos remédios que o seguro vai fazer o ressarcimento desses gastos.


— Mais um detalhe! Entrei em contato com sua agência de viagem, e pedi para eles encaminharem suas malas para seu hotel… coisa de amigo corretor


— Cara, obrigado mesmo!, Ótimo ter ouvido seus conselhos


Quando Enrolandrio e Laura, chegaram ao hotel, suas malas já estavam no quarto... Na cama havia uma garrafa de champanhe, com um bilhete do amigo corretor.


Seguro existe para isso. Tornar momentos complicados, felizes!


E você? Quer saber da surpresa, do fundo da mala? - a curiosidade matou o gato, né?.


Acompanhe nossos posts, que um dia te conto.


Outra coisa? Se identificou com nosso personagem? Tá enrolando para fazer seguro?


Olha lá? Imprevistos acontecem.


Para saber mais, sobre o seguro viagem e outros seguros, faça um contato aqui


Você não tem nada a perder ao fazer este contato e naturalmente não tem nenhum compromisso em ir adiante.

Porém, você poderá estar perdendo uma ótima oportunidade de prover sua família com uma solução de proteção financeira adequada, inclusive em suas viagens por aí.


Se gostou desse post, deixe seu comentário e compartilhe em suas redes sociais. Sei que conhece muitos "Enrolandrios" por aí


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
bottom of page